A MSC Cruzeiros confirmou  que iniciará sua temporada 2021/2022 no Brasil a partir de 5 de novembros. As novas viagens, que devem acontecer até abril do próximo ano, foram marcadas após a autorização do governo brasileiro no sábado (2) para o retorno dos cruzeiros às águas do país. Entre os portos que receberão os navios estão Balneário Camboriú, Porto Belo, Cabo Frio, Ilhabela, Salvador e Maceió. No entanto, como a portaria federal autoriza apenas a circulação de embarcações que façam itinerários dentro do território nacional, a empresa cancelou os cruzeiros MSC Grand Voyages, previsto para partir da Europa rumo ao Brasil; MSC Sinfonia, que partiria de Itajaí com com destino à Argentina e ao Uruguai; e MSC Orchestra, que sairia da Argentina para o Brasil.

Roteiros no Brasil

Com isso, três navios realizarão os roteiros a partir de quatro portos: Santos, Rio de Janeiro, Salvador e Maceió. O primeiro, MSC Preziosa, retomará as viagens de três e quatro noites a partir do litoral paulista com escalas alternadas em Ilha Grande, Cabo Frio, Rio de Janeiro, Ilhabela, Porto Belo e Balneário Camboriú; além de opções de três noites que sairão do Rio e passarão por Ilhabela e Cabo Frio. Já os itinerários de cinco e seis noites deixarão o Rio de Janeiro rumo a Cabo Frio, Ilhéus e Salvador, enquanto os cruzeiros de sete e oito noites também sairão do Rio e visitarão Ilha Grande, Cabo Frio, Ilhéus, Salvador e Maceió. A embarcação oferecerá cinco piscinas, tobogã, quadra poliesportiva, cinema 4D, programação de musicais em seu teatro, 17 bares e lounges, spa, academia e área infantil.

O segundo navio é o MSC Seaside, que fará sua estreia no Brasil em 4 de dezembro. Inspirada nos condomínios de praia de Miami, a embarcação prioriza as áreas externas, com cinco piscinas e parque aquático, ampla área de convivência, 13 hidromassagens, duas tirolesas, boliche, espaços para crianças em parceria com Chicco e Lego, cinema XD, spa, 10 restaurantes e mais. Entre os destaques está a Ponte dos Suspiros, uma estrutura de 40 metros de altura em vidro que oferece vista panorâmica para todo o navio. Seus roteiros — de seis, sete e oito noites — devem partir de Santos e passar, de forma alternada, por Ilha Grande, Ilhabela, Ilhéus, Salvador e Maceió.

O terceiro navio, MSC Splendida, iniciará seus trajetos em 19 de dezembro com cruzeiros de sete noites pelo país, partindo de Santos e fazendo paradas por Porto Belo, Balneário Camboriú, Ilhabela e Cabo Frio. Menor, a embarcação tem entre suas amenidades seis restaurantes — um deles especializado em cozinha oriental —, 18 bares e lounges, lojas, simulador de F1, quatro piscinas, parque aquático e centro de recreação infantil. A companhia informou que as vendas já estão disponíveis através de suas plataformas e que reservas serão flexíveis, podendo ser remarcadas sem taxas até 15 dias antes do embarque caso sejam realizadas antes de 31 de outubro. Profissionais da linha de frente do combate à covid-19 ainda terão desconto nas tarifas.

Protocolos de combate a pandemia

A MSC passará a oferecer um novo seguro viagem que inclui cobertura para a covid-19 a partir de R$ 79 por pessoa para cruzeiros de três noites ou a partir de R$ 149 por viajante para trajetos de sete noites. É preciso conferir com a companhia para quais programações o serviço estará disponível. Hóspedes internacionais poderão embarcar para os cruzeiros, desde que entrem no Brasil por via aérea e sigam as medidas sanitárias estabelecidas pela Anvisa para este tipo de viagem, como a apresentação de PCR negativo realizado em até 72 horas antes do desembarque.

Ainda não foram definidos pela agência ou pela empresa quais os protocolos para o embarque em cruzeiros, no entanto, o Ministério do Turismo anunciou no sábado que estuda exigir teste de covid-19 de todos os hóspedes, vacinação de tripulantes com apresentação de três testes antes de entrar em serviço, além de quarentena, uso de máscaras, distanciamento, ocupação reduzida, ar fresco sem recirculação em áreas comuns (como, por exemplo, no caso de uso de ar condicionado), desinfecção e higienização constantes.

Fonte: UOL
Foto: Divulgação