Representantes do Núcleo de Relações Institucionais (NRI), da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), e integrantes da Unidade Especial Abrigo João Paulo II, que atende idosos com sequelas da Hanseníase (doença infecciosa que causa, sobretudo, lesões na pele e nos nervos), estiverem na tarde desta quarta-feira (06) no canteiro de obras da Usina da Paz no bairro Nova União, em Marituba – município da Região Metropolitana de Belém. O objetivo foi mostrar a estrutura do complexo, que oferecerá diversos serviços à população.

“Essa visita surgiu após uma ação realizada no Dia do Idoso, onde nós, da Câmara Técnica do TerPaz, fomos juntamente com a primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho, a Secretaria de Saúde e a Fundação ParáPaz, até esse abrigo, levando cadeiras de rodas e cestas básicas. Essa visita de hoje é a continuação dessa ação. Aqui eles puderam ver de perto esse complexo, que também vai beneficiar pessoas com deficiência”, informou o diretor-geral do Núcleo de Relações Institucionais da Seac, Julio Alejandro Quezada.

Jorge da Silva, 59 anos, residente do Abrigo, disse que estava muito feliz em ter participado da visita e conhecido um pouco mais sobre os serviços que serão implantados na UsiPaz. “Esse é um projeto de inclusão maravilhoso. Depois de pronto, será um verdadeiro paraíso, não só para as pessoas deficientes, como para toda comunidade, porque vai disponibilizar diversos serviços’, acrescentou Jorge da Silva.

 

A Unidade Especial Abrigo João Paulo II funciona desde 1976 atendendo pessoas com sequelas de Hanseníase, remanescentes da antiga Colônia de Marituba, que recebia pessoas com a doença. Atualmente, mantém 27 residentes. A gestora do abrigo, Patrícia Pinheiro, destacou a importância das Usinas da Paz. “Essa é uma obra visionária. Só tendo a sensibilidade do nosso governador e da primeira-dama para criar uma obra magnífica, e que vai, sem dúvida, ajudar muito a população aqui de Marituba, e também quem sofre com algum tipo de deficiência, porque infelizmente a acessibilidade no nosso País não é prioritária. Mas graças a Deus aqui no nosso Estado é diferente. Essa temática é prioridade. Agora, eles vão ter acesso a inúmeros serviços. A realidade deles, sem dúvida, vai mudar”, reiterou a gestora.Edimilson Picanço, coordenador do MorhanFoto: Francisco Rainero/NRI Seac

Para o coordenador do Movimento de Reintegração de Pessoas Afligidas pela Hanseníase (Morhan), Edimilson Picanço, desde a implantação do Programa TerPaz em Marituba, o cenário mudou para melhor. “Desde o surgimento do TerPaz aqui já percebemos mudanças significativas. Percebemos a diminuição da violência. Além disso, o Programa tirou muitos jovens da situação de vulnerabilidade, oferecendo serviços, e também ações voltadas para idosos e pessoas com deficiência. Com a implantação da Usina, creio que vai trazer ainda mais benefícios para os moradores de Marituba”, afirmou o coordenador do Morhan.

Estrutura de cidadania – A Usina da Paz é um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz), elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Seac, em parceria com a iniciativa privada. A meta do Estado é a construção de 10 Usinas, entre a Região Metropolitana de Belém e a região sudeste paraense.

Jorge da Silva destacou a inclusão no complexo de cidadaniaFoto: Francisco Rainero/NRI SeacAs obras da Usina de Marituba são executadas em parceria com a mineradora Vale, por meio de um termo de cooperação. O Estado não recebe nenhum recurso financeiro. A Usina será entregue ao governo pronta e equipada.

As UsiPaz serão complexos de promoção da cidadania, com espaços para atividades esportivas; salas de audiovisual e inclusão digital; atendimento médico e odontológico; consultoria jurídica; emissão de documentos; ações de segurança; capacitação técnica e profissionalizante; espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade.

Também haverá espaços para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca.

Fonte: Agência Pará
Foto: Francisco Rainero/NRI Seac