Casada com a bailarina Brunna Gonçalves desde 2019, Ludmilla falou que é alvo frequente de ataques racistas e homofóbicos nas redes sociais , que viraram “terra de ninguém”, permitindo com que qualquer um crie um perfil falso para destilar seu ódio.

“A fama não aliviou em nada a discriminação, muito pelo contrário”, disse ela em entrevista à Veja Rio.

A cantora acredita que, com um controle maior dos dados dos usuários, os crimes virtuais seriam reduzidos bastante: “Muita gente deixa de cometer crimes porque sabe que pode ser preso. Já na internet, quem ataca os outros tem certeza de que seguirá impune, contou ela, que afirma ter ficado mais reservada nas redes sociais para preservar sua vida e de sua família.

Apesar de ser uma artista famosa, com números de views impressionantes em seus clipes no Youtube e ter músicas com frequência no top 10 do streaming, Lud diz que a discriminação aumentou com o sucesso.

“Através da música, conquistei um espaço que é, ao mesmo tempo, maravilhoso e problemático. Muita gente não aceita que uma mulher negra e pobre chegue a um lugar de destaque”, desabafa.

Para combater esse preconceito, a artista fala que sua arma é o microfone: “A sensação é de que eu tenho que ser três vezes melhor que uma pessoa branca para ter o meu talento reconhecido… Já vi gente que me xinga no Instagram, mas grava vídeo dançando a minha música”.

Fonte: UOL
Foto: Reprodução/Instagram