Depois de anunciar o volante Ricardo Capanema para a disputa da Série D deste ano, o Castanhal foi buscar reforços para a competição em um mercado (bastante) inusitado. A bola da vez foi o meia Marcos Paulo, jogador de 23 anos que jogava no Hienghène Sport, da Nova Caledônia. O jogador já integra a equipe que estreia no Brasileirão no dia 6 de junho.

De acordo com o Castanhal, o jogador estava no clube há três meses, onde se recuperava de uma lesão. O atleta já foi liberado pelo departamento médico, treina com bola e pode entrar em campo para a ajudar o Japiim na disputa da Série D. Ainda segundo o Castanhal, outros reforços serão anunciados ao decorrer da semana.

O Castanhal será o quarto clube da carreira de Marcos, o terceiro no profissional. Além do Hienghène Sport, equipe do pequeno país da Oceania, o meia atuou no sub-19 do Marília, de São Paulo e no Assiense, também do interior paulista.

Volante Marcos Paulo e o zagueiro Pedro Vilela disputaram o Mundial de Clubes no Catar pelo Hienghène Sports — Foto: Arquivo Pessoal

Quando esteve na Oceania, Marcos teve uma oportunidade que muitos grandes atletas não tiveram na carreira: participar do Mundial de Clubes da Fifa. Em 2019, o pequeno clube da Nova Caledônia venceu a Liga dos Campeões da OFC, uma espécie de “Libertadores da Oceania”, e se classificou para o mundial, que foi disputado no Qatar. Na competição, o Hienghène disputou apenas uma partida, contra o time da casa, o Al Sadd, e perdeu por 3 a 1.

No entanto, após a disputa do Mundial de Clubes, a vida não foi fácil para Marcos Paulo. Devido a pandemia de Covid-19, o jogador ficou desempregado e passou a fabricar e vender cheirinho para carro para conseguir pagar as contas.

Sem conseguir contrato com outro clube, Marcos Paulo viu as contas chegarem e o dinheiro ficando apertado. O jogador está noivo e morava com os pais, então sentiu que precisava se mexer para não ficar encostado vendo as coisas ficarem ruins para sua família. Foi assim que passou a trabalhar em semáforos na cidade de Marília, no interior de São Paulo.

Marcos Paulo vende cheirinhos para carros em Marília para pagar as contas — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: G1
Foto: Ascom/Castanhal