Índia registrou uma diminuição no número de casos de coronavírus nesta segunda-feira (17), mas as mortes diárias continuam acima de 4 mil, e especialistas dizem que os dados não são confiáveis devido à falta de exames em áreas rurais, onde o vírus se dissemina rapidamente.

Há meses, nenhum lugar do mundo é tão assolado pela pandemia quanto a Índia, já que uma nova variante do vírus provocou uma disparada de infecções que passa de 400 mil por dia.

Mesmo com a redução dos últimos dias, especialistas dizem que não existe certeza de que as infecções chegaram ao auge, e o alarme com a variante B.1.617 altamente contagiosa, detectada pela primeira vez na Índia, é cada vez maior interna e externamente.

“Ainda há muitas partes do país que ainda não chegaram ao pico, elas ainda estão tendo aumentos”, disse Soumya Swaminathan, cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo uma citação do jornal “Hindu”.

Swaminathan observou a taxa nacional de positividade em exames muito alta, cerca de 20% dos testes realizados, como sinal de que ainda se pode ver um quadro pior.

“A realização de exames ainda é inadequada em um número grande de Estados. E quando você vê taxas de positividade de exames altas, claramente não estamos examinando o suficiente”.

 

Números da pandemia na Índia

Com o recuo iniciado na semana passada, as novas infecções nas últimas 24 horas foram estimadas em mais de 281 mil pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira, caindo para menos de 300 mil pela primeira vez desde 21 de abril. A contagem diária de mortes ficou em 4.106.

No ritmo atual, o total de casos acumulado pela Índia desde que a epidemia começou, um ano atrás, deve passar da marca de 25 milhões nos próximos dias. O total de mortes está estimado em 274.390.

A Índia tem o segundo maior número de casos confirmados de Covid do mundo, abaixo apenas dos Estados Unidos, e o terceiro maior total de óbitos pela doença, depois de EUA (586 mil) e Brasil (435 mil).

 

Fonte: G1.com
Foto: Danish Siddiqui/Reuters