O Paysandu anunciou no início da tarde deste domingo, dia 16, que Itamar Schülle não é mais técnico da equipe. A decisão da diretoria bicolor acontece momentos após o Papão perder a primeira partida da final do Campeonato Paraense 2021. O time foi derrotado por 4 a 2 pela Tuna Luso, no Estádio do Souza.

Além Itamar Schülle, o auxiliar-técnico Lucas Isoton e o preparador físico Edson Belo também deixam o clube, que agradeceu os serviços prestados pelos três profissionais.

 

Mesmo levando o time para a decisão estadual, o treinador já vinha sendo bastante criticado pela torcida pelo baixo desempenho da equipe na temporada. Nas redes sociais, torcedores pediam a saída de Itamar, mas a diretoria manteve Itamar diante da pressão.

Schülle comandou o Paysandu em 15 partidas na temporada. Foram oito vitórias, quatro empates e três derrotas, com 18 gols marcados e 13 sofridos. O aproveitamento do treinador à frente do Papão foi de 62,2%.

O time se reapresenta nesta segunda-feira e será recebido pelo auxiliar-técnico permanente do clube, Wilton Bezerra. O Paysandu terá uma semana de trabalho para reverter o placar da decisão.

A partida de volta da final do Parazão está marcada para o próximo domingo, dia 23, às 17h, na Curuzu. Para ser campeão no tempo normal, o Papão precisa vencer por três ou mais gols de diferença. Em caso de vitória bicolor por dois gols de diferença, a decisão vai para os pênaltis.

Últimas palavras como treinador

Antes de ser demitido, Itamar Schülle concedeu entrevista após a derrota para a Tuna Luso. Ele comentou que o time não começou bem o jogo e citou alguns fatores para o rival ter feito dois gols ainda no primeiro tempo, afirmando que um houve irregularidade em um deles.

– A nossa equipe entrou um pouco apática, diferente de como se tem que jogar uma decisão. Ficamos perdendo bolas em setores que não podemos cometer os erros que cometemos. E também não foram dois gols, né? Foi um gol, o segundo estava impedido nas duas primeiras bolas. Foi um gol impedido claríssimo.

Gabriel Barbosa marcou um dos gols do Paysandu contra a Tuna Luso — Foto: John Wesley/Ascom Paysandu

Nós precisamos conversar, alertar várias coisas e mudarmos também algumas coisas que achamos necessário para que a equipe fosse mais agressiva, brigasse mais por essa bola e fosse em busca dos gols na segunda etapa.

Itamar contou ainda que o time precisava “viver” a final, sem cometer as falhas que os bicolores tiveram. Contudo, treinador elogiou os jogadores, garantindo que eles possuem competência para darem a volta por cima e conquistarem o título.

– Nós temos que viver a decisão, não podemos errar. Temos que estarmos atentos em todos os detalhes. Eu sempre digo isso, eles têm a competência, têm a capacidade, tem que acreditar nisso, e tem que trazer isso de fora, é algo que está de dentro para fora.

Fonte: G1
Foto: John Wesley