A Justiça Militar determinou hoje busca e apreensão e prisão de um oficial da FAB (Força Aérea Brasileira) e dois sargentos envolvidos em um caso de tráfico internacional de drogas.

A operação é desdobramento do caso que envolve o sargento Manoel Silva Rodrigues, detido com 37 kg de cocaína durante viagem com a comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na Espanha, em 2019.

Os mandados foram expedidos pelo juiz Federal Frederico Magno de Melo Veras, da 2ª Auditoria da 11ª Circunscrição Judiciária Militar, em Brasília. Segundo informações do MPM (Ministério Público Militar), foram presos hoje:

  • Tenente-coronel Alexandre Augusto Piovesan;
  • 2º sargento Márcio Gonçalves de Almeida;
  • 2º sargento Jorge Luis da Cruz Silva;
  • Wikelaine Nonato Rodrigues, mulher de Manoel Rodrigues.

Segundo informações do MPM, por volta de 12h30, todos já tinham sido presos.

O UOL mostrou que o sargento Manoel Silva Rodrigues segue na ativa e com salário em dia. Segundo informações do portal da transparência, consultado hoje, ele continua ativo nas Forças Armadas.

O sargento integrava uma equipe de 21 militares que prestava apoio à comitiva que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro na reunião do G-20, no Japão.

As investigações não identificaram relação do sargento com a comitiva presidencial.

A droga foi encontrada pela Guarda Civil da Espanha ao vistoriar a bagagem dele no aeroporto de Sevilha (Espanha). À época da apreensão, a Guarda Civil da Espanha considerou que havia 39 kg de drogas. No Brasil, a investigação do Ministério Público Militar aponta que são 37 kg e foi com base nessa quantidade que Rodrigues foi denunciado e responde ao processo.

O processo corre sob sigilo. A FAB foi procurada, mas não se manifestou sobre as prisões.

 

Fonte: UOL
Foto: Sgt Johnson/Agência FAB