A vitória do Remo por 2 a 1 diante do Ypiranga-RS, no domingo, chegou a ter aspecto de dramaticidade no Mangueirão. O adversário foi superior ao Leão Azul em diversos momentos do jogo e poderia ter complicado os donos da casa ao sair na frente do placar. Para o técnico Paulo Bonamigo, as dificuldades foram normais levando em consideração a fase decisiva da Série C do Brasileiro, mas ele não deixou de enfatizar que o clube azulino precisa melhorar alguns aspectos para a sequência da competição.

– Isso é Série C, tem que entender que o Ypiranga-RS fez 31 pontos no Grupo B na fase classificatória, não foi por acaso, um dos melhores ataques. Fez dois grandes jogos, mas perdeu por detalhes para o Paysandu, em uma situação onde jogou bem. Lá (em Erechim), perdeu pro Londrina com três jogadores expulsos. Sabíamos que teríamos dificuldades. Evidente que tivemos um pouco abaixo, principalmente, depois dos 20, 25 do primeiro tempo. Perdemos o controle de meio campo, o Ypiranga foi forte a partir daquele momento.

Bonamigo falou das mudanças realizadas no segundo tempo, melhorando o aspecto ofensivo do Remo. No clássico contra o Paysandu, a partir das alterações técnicas e táticas, os remistas também tiveram uma performance mais favorável pela vitória.

– Na segunda parte nós tentamos dar um pouco mais de intensidade com um jogador mais rápido pelo corredor, que iria ajudar um pouco mais na manutenção da posse de bola, que foi o Dioguinho, mais consistência na marcação, o Mossoró estava com muito espaço no primeiro tempo com o Tcharlles. A equipe sofreu, deu uma melhorada, mas não tendo aquela efetividade, agressividade ofensiva que esperávamos. O Ypiranga fez o seu gol, mas a equipe teve poder de reação. Com a entrada do Eduardo e do Augusto, melhoramos, também, a qualidade de posse, volume no meio-campo, agressividade. Fomos eficientes.

A gente fala que, às vezes, no jogo desse nível, quando não se consegue jogar relativamente bem, tem que procurar ser eficiente, pragmático. Conseguir o resultado nesse momento (é mais importante) que performar. (…) No contexto geral, por ter mais eficiência, a gente mereceu sair daqui com uma vitória.
— Paulo Bonamigo

O comandante azulino valorizou as opções reservas que o Remo tem para as últimas três partidas que valem o acesso à Série B de 2021. O meia Eduardo Ramos, que voltou a ficar à disposição depois de quatro rodadas longe da equipe em razão de lesão, entrou no segundo tempo do embate contra os gaúchos e teve papel importante na vitória. O atacante Augusto também vem pedindo passagem por um lugar na formação principal com atuações seguras no decorrer dos jogos.

– A rapaziada que tem entrado tem colaborado muito. Isso é importante. A consciência de que ninguém ganha uma competição, chega no objetivo jogando com 11. Precisa ter 20 jogadores comprometidos, com performance, projeto, atitude dentro de campo. Tem dias que a coisa não está andando, você é bem marcado e precisa de alternativas do banco pra buscar o caminho da vitória. A gente não pode trocar igual, tem que melhorar, se não, não tem motivo de troca. Eles estão entendendo. Acrescentando. É um ganho de qualidade. Colocar jogadores do nível do Eduardo Ramos, com possibilidade de jogar 30, 45 (minutos). Vamos, cada vez mais, dar uma condição pra ele. Evidente que a gente chega muito forte nesses últimos três jogos.