As infrações de trânsito em Belém e nas rodovias estaduais tiveram uma redução de mais de 70% em maio passado. Já em abril, a queda nas autuações em Belém ficou em 47% e, nas rodovias estaduais, em 34%. Em março, quando os primeiros casos da Covid-19 foram divulgados e decretado o isolamento social na segunda quinzena do mês, as infrações já haviam reduzido em 34% nas rodovias do Estado. A redução significativa nos percentuais nos 3 meses desse ano foi comparada com os mesmos meses do ano passado.

Nacionalmente, o índice de acidentes nas estradas federais caiu 28% entre 11 de março e 12 de abril deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019, segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Os números no Pará foram impulsionados para baixo em especial com os 17 dias de lockdown decretado mês passado e o endurecimento nas medidas restritivas de circulação, impulsionados pela aplicação de multas pelas forças de segurança do município e do Estado.

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) informou que os números referem-se aos registros de infrações na capital, incluindo as de excesso de velocidade, avanço de semáforo, estacionamento proibido, entre outras.

Fatores

O tenente Coronel Franco, comandante do Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRV) explica que a redução dos números decorre da somatória de 2 fatores: a decretação de isolamento e distanciamento social e o incremento do efetivo do batalhão em cerca de 40% determinado pelo Comando Geral da Polícia Militar nas barreiras instaladas nas rodovias estaduais.

Em abril de 2019 os policiais rodoviários estaduais registraram 1.175 infrações contra 770 registrados em abril deste ano (-34%). Em maio a redução foi ainda maior: nesse mês no ano passado foram registradas 1.773 infrações, que caíram para apenas 504 este ano (-71%). Entre as principais infrações verificadas estão a não utilização de capacete, ultrapassagem indevida, não uso do cinto de segurança, lotação excedente, mau estado de conservação dos veículos e equipamentos em desacordo.

Patrícia Bittencourt Neves, professora e pesquisadora da área de transporte e trânsito da Universidade Federal do Pará (UFPA) e diretora Regional da Associação Nacional de Transporte Público (ANTp) avalia que a redução das infrações se deu devido à diminuição do fluxo de tráfego. “Não acredito que a pandemia provoque uma conscientização de forma a ter redução do índice de infrações após passada toda essa situação. Se acontecer vai ser de forma inexpressiva, na minha avaliação”.

Sobre ocupação de leitos por vítimas de acidentes, números da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) mostram que o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua, registrou uma redução de apenas 3,4% no número de atendimentos de vítimas de acidentes de trânsito na unidade: foram 638 atendimentos nos meses de abril e maio deste ano e 661 no mesmo período de 2019.

Em Belém, os índices de registros de traumas causados por acidentes de trânsito nos prontos-socorros da capital são mais expressivos. De acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) em março do ano passado foram realizados 1.445 atendimentos de ortopedia e traumatologia nas unidades, número que caiu para 756 este ano, uma redução de quase 50% nas ocorrências.

Em abril, mês crítico da pandemia no Estado, a queda nos atendimentos nos PSMs também é considerável: em abril do ano passado foram 1.359 atendimentos, número que caiu para 281 no mesmo mês deste ano, quase 5 vezes menor.

Números

Veja e redução do número de infrações da capital e nas estradas estaduais em março, abril e maio comparado com o mesmo período de 2019:

Belém

Março – Redução de 42,81%

Abril – Redução de 47,08%

Maio – Redução de 76,49%

Rodovias Estaduais

Março – Redução de 34%

Abril – Redução de 34%

Maio – Redução de 71%

 

 

Fonte: Dol
Foto: Dol/ Wagner Almeida